tato

Como a Tato pode ajudar a sua família

A motivação da Tato em existir é poder servir as famílias com crianças que apresentem algum sinal de alerta ou que já tenham algum diagnóstico de atraso. O nosso desejo é aliviar o sofrimento das pessoas e, sempre que possível, evitar sofrimento desnecessário.

A Tato sabe que um bom trabalho vai muito além do domínio da técnica. Ao entrar na vida de uma família que enfrenta uma dor e estar todos os dias presente como profissional de reabilitação, é necessário saber acolher o sofrimento dessa família em todos os momentos.

Assumir o cuidado médico de uma condição difícil significa, de algum modo, uma doação de vida. Significa estar disponível, atento, envolvido, compassivo. Exige sacrifícios, mas que sempre valerão a pena se pudermos ajudar mais vidas!

Entenda como a Tato pode ajudar a sua família

Você pode estar se perguntando “Tá, isso tudo faz muito sentido, mas como de fato a Tato pode me ajudar?”. Bem, a melhor maneira de explicar isto é com os próprios testemunhos das famílias que confiaram em nosso trabalho e aceitaram ser ajudados pela Tato.

Ana Paula Di Bonifácio, mãe do Léo de 5 anos

“Sou Ana, mãe do Léo, de 5 anos, que tem diagnóstico de autismo. Queria contar um pouquinho como foi o suporte terapêutico que a gente recebeu para o desenvolvimento do Léo.

Quando ele tinha dois aninhos mais ou menos nós fomos para o Canadá em busca de um modelo específico de intervenção, que é o modelo Denver. Aqui no Brasil, na época, ainda havia poucos profissionais qualificados, poucos estudos. E lá no Canadá a gente teve a grata surpresa de encontrar a Edinizis, que é uma fonoaudióloga fantástica, gabaritada e super competente, que pôde trabalhar com ele lá. Mas o mais importante foi quando voltamos: a gente sentiu muita falta, muita dificuldade em encontrar profissionais qualificados.

Acabei me afastando do trabalho, me tornei assistente terapêutica do meu filho e a Edinizis se tornou nossa supervisora terapêutica. Ela acompanhou todo o processo de desenvolvimento dele, no preenchimento do “checklist”, desenvolvendo os objetivos terapêuticos periodicamente e a cada trimestre a gente revisa esse plano terapêutico.

Semanalmente a gente tem encontros online, onde ela assiste os nossos vídeos, opina, esclarece as nossas dúvidas, enfim, nos orienta e nos direciona. Eu acho que o mais importante disso tudo, o grande ganho que a gente teve, é que nós como pais nos tornamos muito mais empoderados e confiantes em relação a como agir, como lidar com alguma situação adversa que acontece no dia a dia, afinal nós pais estamos grande parte do tempo com essas crianças.

Então não adianta só a terapeuta fazer o papel dela naquelas horas que ela está ali na intervenção com nossos filhos, mas nós, pais, precisamos saber como agir e essa supervisão que a gente recebeu foi um divisor de águas, porque hoje nós nos sentimos capacitados e plenos para entender o que fazer, como fazer, como agir em qualquer lugar que a gente esteja.

Então eu sou extremamente grata a Edinizis e a todo o suporte que ela sempre nos deu.”

Thaise, mãe do Theo de 3 anos e 6 meses

“O processo do desfralde, pra mim, foi muito desafiador. Eu temia, pois sei da importância da aquisição dessa habilidade e a paciência que demanda. É muito incerto, não existe uma forma de prever como ele vai acontecer e isso gerava angústia.

Quando fiz o aulão, deparei-me com muitas dificuldades e concluí que todas elas eram minhas, não do meu filho. Como a Karen e a Edinizis me diziam, ele estava mais que pronto e dava diversos sinais disso! Qual foi a minha surpresa ao descobrir que quem não estava pronta era eu! Através das aulas e supervisões, eu me preparei, primeiramente materialmente, com objetos que eu nem imaginava e que facilitaram o processo e criando para ele uma certa familiaridade com o hábito de ir ao banheiro.

Foi então, que a partir disso, fui me sentindo mais segura e encarei essa etapa tão temida pela maioria das mães. Novamente, me surpreendi! Foi um dia longo, cheio de escapes e um varal com 10 cuecas no final da noite. Mas foi só isso! A partir do segundo dia ele, que já estava pronto, percebeu seu corpinho, suas necessidades e daí em diante os escapes são raros. Durante o dia já dorme sem fralda e a noite ainda está usando, mas há 1 semana a fralda já amanhece totalmente seca. Hoje eu ainda levo ele ao banheiro com uma frequência estipulada, mas ele já aprendeu a pedir, de acordo com sua necessidade.

Percebo que minha resistência atrapalhou o desenvolvimento dele, pois conseguiria ter feito o desfralde antes. Depois dessa aquisição importante, ele tem feito mais e mais coisas de forma autônoma e sei que o desfralde foi fundamental para isso. Não sei como teria sido sem o apoio profissional! Pode ser que ele também conseguiria, porém a forma como isso iria acontecer, tenho certeza que não teria sido tão leve e simples. Esse olhar técnico, apurado, permitiu que o desfralde acontecesse quando ele já estava pronto, o que certamente faz a diferença e também permitiu que eu me “aprontasse” para conduzir esse momento.

Gratidão, meninas!”

Conheça nossos serviços presenciais e online. A Tato está aqui para o que precisar!

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *